segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Pressuposto da felicidade




Há dias que acordo estranhamente feliz,
felicidade que me é concedida de maneira sutil
e me pergunto se sou merecedora.

Parto do pressuposto que felicidade
é algo que se aproxima de um preceito fundamental.
Por mais que tento buscar definição,
ela já esta lá, antes de tudo.
Minhas buscas restam infrutíferas.

E o desejo de alcançá-la torna-se
tão digno quanto atingir Valhala.

Tão digno, romântico e fora do alcance da razão.


Primeira cena:

O sorriso moldura a face,
levanta as cortinas da alma.
Salta dos meus olhos.

...




Que vício tentar achar o motivo de meu bem-estar.
Como se meu Valhala estivesse em grandes feitos,
mudanças, dinheiro, promoção ou outros marcos mundanos.


Não tenho tanto tempo para desperdiçar.
Vício consertado no plano formal
no mundo das minhas coisas.

Embora, mudar a forma de pensar e “deixar estar”
com o grau de contentamento não seja tarefa simples.


Não me contento em estar contente.
Mas, há tantas sensações aqui e lá fora....

Segunda cena:

Teias de aranha que trançam meus cabelos
em noites brilhantes de música sem fim.
Perfume de cravos e jasmim penetrantes no vestido,
carícia nas minhas pernas, vinho colorante da boca.


O problema é catalogar, espremer cada sensação
em um conceito que caiba dentro de uma caixinha
presa na memória por um fio de nylon. Corto o fio.

Diante destes problemas e vícios consertados,
findo, provisoriamente, com as perguntas.
Sigo num gozo sem medida de duração,
entre risos sem motivo e suspiros espasmógenos.


Terceira cena:




Vento frio de arrepiar pelos,
beijar pescoço e orelhas.
Abraços de apressar corações, num só pulso,
pulsante em dobrar esquinas de novos caminhos.
Sou feliz assim, empiscar de cílios,
borboletas que borbotam de mim.









Há dias que acordo estranhamente...




Devaneios de Lorita.

4 comentários:

  1. Passando rap-10 pra desejar uma semana abençoada
    bjsss

    ResponderExcluir
  2. NOSSA!
    Muito BOM!
    Parabéns. E bellas imagens também.

    ::)

    ResponderExcluir
  3. "Não me contento em estar contente.
    Mas, há tantas sensações aqui e lá fora...."
    ;)
    Legal esta divisão em cenas, inseridas no teu texto e uma pergunta: tua felicidade sempre é pérva deste jeito?
    rs!

    Bjs da Pam.

    ResponderExcluir
  4. Rita, muito grato pelos teus comentários e presença constante no blog "banjal".

    bjss
    sandoval

    ResponderExcluir

Como assim?