segunda-feira, 31 de maio de 2010


















O monstro desapareceu!
Desculpa, meu senhor...
Não quero saber nem da tua sombra. 
Pretérito imperfeito.


Às vezes, só tomando um cagaço bem grande para denotar novos sentidos ao que já existe.
Novos siginificados para o medo, a fé, o amor, o alívio e a felicidade! 
Sim, a felicidade...
Pois, ela está nas coisas mais primitivas, simples e/ou essenciais.
E sem o meu bem, primitivo-essencial, não há luz.


Boa-noite, povo.
Suspiros...

4 comentários:

  1. Não quero tua luz.
    Quem dirá a tua sombra.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Nem ia te falar nada, mas eu sou "o monstro":
    O Monstro

    O problema foi q minha mãe descuidou e deixou vc passar!

    ;)

    Bj

    ResponderExcluir

Como assim?