quarta-feira, 30 de junho de 2010

Internéta, ela não está a fim de você.


O mundo real dá trabalho, minha cara.
Não foi fácil, mas contornei a situação.
Sabe aquela deprê depois de rir até a barriga doer?
Algo do gênero.
Mais uma vez, os resquícios da cdf colegial incompreendida salvou a lavoura. Tanta coisa ao mesmo tempo, só podia dar merda no final.
NOT!
A teimosia em “fazer as coisas darem certo a qualquer custo” foi minha carta na manga.
Observe, caro leitor, que nenhuma qualidade é exaltada no texto. A teimosia extrema, a ansiedade, o surto psicológico, a nerdice, as vibrações do lado negro da força e a sensação de “fudeu com a bicicleta” que me levaram ao regozijo.
A cada dia que passa, percebo que sou uma metódica falida com ar blasé dos filmes de época. E que desta forma, passo pela vida, no aconchego do pandemônio mental. Numa vibe kamikaze de ser.
Ok.
Me sinto recompensada com o resultado (blá blá blá) e proporcionalmente cansada.
Alguém conhece um massagista bonito com mãos habilidosas? (...)
A tensão passou, porém fica o vazio.
Que raios!
Quando não tinha tempo para o ócio cultural, morria de vontade assistir mais filmes, de ficar na companhia dos livros que dão tesão, exercitar a incrível arte de mongar. Pensava que quando a terceira guerra mundial terminasse teria tempo para tudo.
E agora a disposição manda lembranças.
Não faço n.a.d.a.
Uma hora passa.
Inclusive, deve tá passando no tempo em que banco a dramática.
Vou ali refletir sobre a paz mundial e pintar as unhas.
Deixo uma imagem no intuito de renovar o blog, já que toda vez que entrei aqui (desde a última atualização) revivo a tristeza / lembro do tio Saramago.
Aliás, maninho escreveu um texto maravilhoso sobre o velho.
Meu alemãozinho tá chegando!!!

_ o/


Imagem, né?




Paiêêêê, prometo que não deixo fugir.
A tartaruga foi uma exceção.

Beijos e queijos.

5 comentários:

  1. ahahahahhaha... a frase da tartaruga, ali, no finalzinho dos 45min do teu texto - SENSACIONAL!!!!!

    flw
    sandoval

    ResponderExcluir
  2. a tartaruga fugir é analogia ao leite derramar: enquanto olhamos, ele não felve, daí nóis vorve os ói, ele felve e derrama.
    mas isso na Antigüidade, quando a gente era creança, o leite vinha em saquinho, e Louis Pasteur tava na moda.

    você é uma pessoa que inspira simpatia e vontade de conhecer um dia.

    eine brüderliche Umarmung
    Marcos

    ResponderExcluir
  3. O mundo real dá trabalho.
    O mundo real dá trabalho.
    O mundo real dá trabalho.
    E nem gostamos de trabalhar!

    Bonito cabritinho, ou é um bode?

    ResponderExcluir
  4. Essa daí sou eu às vezes. Só não dispenso a vontade de ver filmes. Nunca.

    ResponderExcluir

Como assim?